Dias felizes, que foram mudados por um grave acidente! Leia minha história e saiba como tudo aconteceu!
Allef Ana

voltar para página inicial do Allefgo

Relato da Esposa de Allef Andrew do Prado.

O meu esposo Allef Andrew do Prado, nascido em 18 de Abril de 1987, estudante do 8º. Semestre do Curso de Engenharia de Controle e Automação e atuante na área de programação, com apenas 22 anos, sofreu um grave acidente em 23 de Dezembro de 2009. Seus planos (nossos planos) foram interrompidos por uma fatalidade rara, porém, a sobrevivência em casos como esses também são raros, portanto já sou grata a Deus pelo milagre que iniciou naquele dia, apenas dois dias antes do Natal e a poucos dias da comemoração de final de ano.

Após retornar do trabalho, desceu do ônibus em frente ao condomínio em que residíamos (Vila Flora – Sumaré) e ao atravessar a Avenida e chegar na calçada em frente a portaria sofreu uma fulguração por raio. Felizmente não sofreu queimaduras graves, porém teve uma parada cardiorrespiratória de mais de 15 minutos que causou uma lesão cerebral difusa devido a falta de oxigenação no cérebro.

Foram 20 dias intermináveis na UTI, uma luta constante contra infecções e uma busca incansável pela estabilidade clínica, e a ida para o quarto, com a promessa de que em poucos dias iríamos para casa e a recuperação seria mais rápida. Ainda na UTI foram realizados alguns testes neurológicos com o Allef, que indicavam que mesmo após a retirada da sedação e a expectativa que ele saísse do coma induzido, ele não respondia nem mesmo a estímulos de dor. Para nossa surpresa, pediram que ficássemos junto a ele na UTI, pois os médicos notaram que seus sinais vitais (principalmente batimentos cardíacos) se alteravam com a minha voz e da mãe dele.

No dia anterior a alta da UTI, o Allef abriu os olhos e após falar a ele sobre como nos conhecemos, ele sorriu, e os enfermeiros que estavam a volta, ficaram impressionados com aquela reação. Foram realizados novos testes, e ele começara a expressar dor.

Fomos para o quarto dia 11de Janeiro, e então inicia-se uma nova batalha, o desmame do oxigênio e de medicamentos mais fortes como a morfina que comprometiam o seu tempo de vigília.

Graças ao Bom Deus, ele reagiu bem a retirada do ventilador mecânico, e logo em seguida a retirada do oxigênio (nebulização), já estava também na saída da UTI sem o uso de sonda vesical, porém com uso de sonda naso-enteral a qual a menos de um mês atrás foi trocada e colocada por uma gastrostomia.

Na expectativa de que iríamos para casa em poucos dias, a decepção foi grande quando as semanas se passavam e devido a febre constante e a dúvida entre ser um descontrole neurológico da temperatura e uma infecção, foram colhidos diversos exames e culturas que necessitavam de um tempo para os resultados e a possibilidade de ter sido infectado no tempo de espera, fez com que se passassem mais 38 dias.

Durante este período, o Allef passou a ficar mais tempo acordado, e já demonstrava certa compreensão quando falávamos a ele. Para surpresa dos médicos, ele passou a responder a alguns pedidos meus como beijos, abrir a boca para escovar os dentes, contrair os lábios para que eu o barbeasse, piscar para respostas, e ainda tentava incansavelmente repetir aos exercícios de alongamento que fazíamos com suas pernas.

Passamos a acreditar ainda mais em sua recuperação, quando percebemos que os médicos também passaram a acreditar.

Permanecíamos no hospital 24 horas por dia, eu e minha sogra principalmente, que passou a ser como uma mãe para mim, devido a sua cumplicidade e aos momentos de dor que passamos ali: unidas pela esperança e por crermos que Deus estava o tempo todo operando na vida dele.

Aprendemos a cuidar dele, como duas enfermeiras: aspiramos pela tráqueo e fazemos a higiene, trocamos as roupas de cama com ele sob a mesma sem dificuldades, trocamos as fixações da sonda naso-enteral e da tráqueo. Tudo isso graças a dedicação e a boa vontade dos profissionais que cuidaram dele no Hospital Estadual de Sumaré, e se dispuseram a nos ensinar.

Recebeu alta no dia 18 de fevereiro ainda com febre, porém associada a descontrole neurológico e alto grau de espasticidade (movimento involuntário dos músculos – contrações musculares).

Em casa realmente a recuperação foi mais efetiva: maior movimento dos braços, movimento voluntário das mãos para cumprimentar as pessoas e pegar objetos, movimento rápido dos olhos e pescoço, tentativa constante de falar quando sem dificuldades respirava pelo nariz ao fecharmos sua tráqueo.

Pegos de surpresa por uma forte pneumonia pouco antes de completarmos um mês em casa, voltamos para o Hospital onde permanecemos por quase 40 dias. Dias, que nos tirou muito da recuperação alcançada no período em nosso lar. Ele passou a não responder mais como antes, com um grau ainda mais elevado de espasticidade seus músculos começaram a se encurtar, o pescoço adotou um padrão de estiramento para o lado direito e as mãos se fecharam totalmente em poucos dias, sem que conseguíssemos evitar com exercícios. O seu humor se alterou drasticamente, e permanecia quase o dia todo nervoso, se acentuando nos procedimentos como troca, banho e para colher exames.

Com a pneumonia curada, apesar da febre, recebeu alta e voltamos para casa, decididas evitar ao máximo levá-lo ao hospital novamente.

Estamos a alguns meses em casa, e a evolução foi surpreendente, com a graça do Bom Deus: movimento mais rápido dos membros superiores com alguns esboços de movimentos voluntários, melhora na deglutição em pequena quantidade acompanhada pela fonoaudióloga, relaxamento do pescoço, abertura da mão esquerda e maior flexibilidade dos punhos, calmo nos procedimentos, melhor foco dos olhos e concentração, e também respostas a perguntas através de movimento dos olhos.

Notamos que possui consciência de tudo o que ocorre a sua volta, mas não sabemos qual o nível dessa consciência e nem da memória. Reconhece os familiares e amigos, e demonstra muita vontade de se expressar através de murmúrios e expressões faciais.

Os profissionais que hoje cuidam do Allef: fisioterapeuta e fonoaudióloga nos animam quando dizem que muitos pacientes que passaram por uma fatalidade semelhante ou muitas vezes de menor intensidade não respondem como ele, e nem demonstram consciência. Acreditam que isso se deve ao amor que ele recebe de toda a família, e também as atividades que realizava antes do acidente.

Quero um dia que todos que estão nos ajudando apenas com o contato de nossos familiares e amigos, conheçam a pessoa maravilhosa que é o Allef, e como ele é amado por mim e por toda a família.

Segue abaixo os gastos que temos por mês, apesar de podermos contar com a ajuda de muitas pessoas e até mesmo da empresa onde trabalhei com os medicamentos. Podemos perceber o quanto no nosso país ainda se faz necessário uma grande pressão para incentivos governamentais em relação aos preços dos produtos para pessoas deficientes e acamadas:

Fisioterapias diversas R$ 3.040,00 por mês.

Dieta Nestlé Isosource Soya Fiber – R$ 18,90 cada caixa de 1 litro – ingere 2 litros por dia ou seja, R$ 37,08 por dia – R$ 1.134,00 por mês.

Fraldas Bigfral G – Pompom – R$ 13,90 pacote com 8 – um pacote por dia em média. – R$ 417,00 por mês.

Remédios (não doados) valor aproximado de R$ 400,00 por mês.

Outros produtos como: placas de hidrocolóide (cerca de R$ 79,00 placas de 30 cm), óleos e cremes para prevenção de escaras, soro fisiológico, gaze, sonda para aspiração, luva estéril e luvas de procedimentos.

Muitos dos materiais acima recebemos por doação, mas quando precisamos imediatamente e não temos como solicitar, acabamos por comprar.

Felizmente tenho uma família que me apóia muito e que nesta nova necessidade também está me ajudando bastante.

O amor que sinto pelo Allef supera todas as dificuldades, e Deus me dando saúde, quero poder fazer por ele tudo o que estiver ao meu alcance.

Fiquem com Deus! Contamos com as orações de todos!

Eliane Cristina Pires Prado

voltar para página inicial do Allefgo

Healing
Healing
Healing

Quanto a mim, eu confio no teu amor! O meu coração exulta com a tua salvação. Vou cantar a Javé por todo o bem que Ele me fez! Salm 13, 6


Contacting Me...

Tel.: 019-2222-1305
Cel.: 019-98131-9992
solange.nunes@gmail.com

Facebook

Unidos pelo Allef

Solange